quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Aprovada política nacional de proteção a pessoa Autista

http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/12/05/aprovada-politica-nacional-de-protecao-aos-autistas


O Plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (5),  Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. O Projeto de Lei do Senado (PLS) 168/2011, de autoria da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), presidida pelo senador Paulo Paim (PT-RS), estabelece os direitos fundamentais da pessoa autista e equipara o portador desse distúrbio à pessoa com deficiência para todos os efeitos legais, além de criar um cadastro único dos autistas, com a finalidade de produzir estatísticas nacionais sobre o problema.
O texto tem como base sugestão da Associação em Defesa do Autista (Adefa). A política de proteção deverá articular, conforme o projeto, os organismos e serviços da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios nas áreas de saúde, educação, assistência social, trabalho, transporte e habitação, com vistas à coordenação de políticas e ações assistenciais.
A Câmara dos Deputados apresentou três emendas ao texto, que receberam parecer favorável na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). Já a CDH aprovou o relatório do senador Wellington Dias (PT-PI) modificando a redação da segunda emenda que prevê multas de três a 20 salários mínimos e sanções administrativas para o gestor escolar que recusar a matrícula de aluno com autismo, por entender que se trata de uma atitude discriminatória.
No Plenário do Senado foi aprovado parecer contrário à emenda 3, que previa as penas para as práticas de castigo corporal, ofensa psicológica, tratamento cruel ou degradante à criança ou adolescente com deficiência ou com autismo como forma de correção, disciplina ou outro pretexto. O relator argumentou que as penas previstas no Código Penal (Lei 9.455/1977) são mais severas que as propostas no texto.
A matéria agora vai à sanção presidencial. Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) cumprimentou todo os colegas senadores e deputados pela aprovação do projeto.
– O Senado hoje dá mais um passo importante no sentido de implementar a Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência aprovado pelo Congresso Nacional com statusconstitucional – comemorou o senador.

Parabéns a todos nós pais e amigos das pessoas com Autismo! 
E agradecimentos especiais aos bravos guerreiros Fernando Cotta, Berenice Piana, Ulisses da Costa Batista que articularam toda a longa e vitoriosa caminhada! 
Obrigada também a autora do PL,  a deputada Mara Gabrilli e aos senadores Paulo  Paim, Wellington Dias, Lindbergh Faria e aos demais Senadores que aprovaram hoje esta lei que muda o quadro do Autismo no Brasil!
E a luta continua!!!
Agora é:
SANCIONA DILMA!!!
Agência Senado

sábado, 13 de outubro de 2012

Inaugurado em Manaus "Espaço destinado para tratamento de pessoas com Autismo"

Centro de Atendimento Integrado de Saúde, Educação e Assistência Social, Especializado no Tratamento e no Desenvolvimento da Pessoa com Transtornos do Espectro Autista será um marco para a cidade de Manaus.



Link: http://www.cbnmanaus.com.br/diariodeumautista/

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

ABA: uma intervenção comportamental eficaz em casos de autismo


(Por Sabrina Ribeiro)

O autismo é uma condição crônica, caracterizado pela presença de importantes prejuízos em áreas do desenvolvimento, por esta razão o tratamento deve ser contínuo e envolver uma equipe multidisciplinar (Schwartzman, 2003).
A eficácia de um tratamento depende da experiência e do conhecimento dos profissionais sobre o autismo e, principalmente, de sua habilidade de trabalhar em equipe e com a família (Bosa, 2006).
Existem vários tipos de tratamento que podem ser usados para ajudar uma criança com autismo. Independente da linha escolhida, a maioria dos especialistas ressalta que: o tratamento deve começar o mais cedo possível; as terapias devem ser adaptadas às necessidades específicas de cada criança e a eficácia do tratamento deve ser medida com os avanços da criança...


Fonte: http://www.revistaautismo.com.br/edic-o-0/aba-uma-intervenc-o-comportamental-eficaz-em-casos-de-autismo

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Tecnologia de Software Brasileiro Gratuito para a Educação de Autistas

Tecnologia de Software Brasileiro Gratuito para a Educação de Autistas


Um Projeto de Mestrado da PUC/RJ do Rio de Janeiro inclui game que promete ajudar no desenvolvimento da fala e das relações sociais, que são duas das maiores dificuldades das crianças com autismo.

Rafael Cunha, começou em 2009 o mestrado em informática na PUC/Rio com a linha de pesquisa “interação humano-computador”. Sua esposa, fonoaudióloga, atendia uma criança autista e comentou sobre sua dificuldade em encontrar softwares brasileiros para ensinar vocabulário aos autistas e sugeriu que Rafael incluísse o assunto como tema de tese de dissertação. A partir daí que Rafael criou, com ajuda da orientadora Simone Barbosa, resolveu aliar a tecnologia ao aprendizado de crianças e adolescentes autistas por desenvolver um jogo de computador com a proposta de ampliar o vocabulário de autistas entre 5 e 9 anos de idade e a se relacionar com outras pessoas de forma leve e divertida.

Como Funciona
“A partir dos estímulos, é preciso achar as palavras soliditadas. A intenção é que as crianças joguem sempre sob orientação dos pais ou de um supervisor.” Uma vantagem é que o nível é adaptado à capacidade de manusear o mouse e ao conhecimento da criança: desde a alfabetização, até os que já falam, mas tem dificuldade de distinguir objetos ou funções semelhantes.


O Software foi batizado de Aiello, em homenagem a Santa Elena Aiello. O jogo é recomendado para crianças entre cinco e nove anos e conta com um esquilo que solicita uma palavra qualquer para a criança: Ele pede "prato", a criança tem que selecionar a imagem que corresponde ao "prato". Isso incentiva o "jogador" a superar seus desafios no game. Existe ainda a possibilidade de configurar o jogo para que, em vez de objetos, apareçam palavras, o que o faria útil também para auxiliar no aprendizado das palavras escritas.

Os testes começaram em abril de 2011, terminando em dezembro, depois de dez sessões com cada uma das cinco crianças participantes. Dessas, quatro tiveram resultados excelentes e apenas uma delas não obteve resultado considerável. Os pais acompanharam o processo e puderam notar o progresso dos filhos. “Um dos meninos não conseguia diferenciar ‘sandália’, ‘chinelo’ e ‘sapato’. Com a ajuda do game, ele passou a diferenciá-los. Outra criança não diferenciava a função dos objetos, quando queria dizer ‘prato’ dizia ‘comida’. Segundo Rafael, o jogo ajudou bastante”.



Avaliação Psicopedagógica
Segundo o psicólogo especialista na área Robson Faggiani, o uso da informática pode ser de grande importância na educação de autistas, já que eles costumam gostar de interatividade eletrônica, como vídeos e games. Faggiani acredita que, desde que usadas com moderação e como complemento ao ensino regular, essas ferramentas são muito úteis.

A professora do Departamento de Psicologia da PUC-RJ Carolina Lampreia auxiliou Rafael Cunha a entender as necessidades da criança com autismo. Ela realça que o método utilizado pelo jogo é interessante, pois trabalha de modo lúdico com o intuito de motivar a criança. Assim, ela se sente estimulada a seguir realizando as tarefas solicitadas. "O modelo que ele utilizou é muito interessante, chama-se escolha segundo a amostra. Você tem uma amostra e duas opções. Se escolhe a certa, a criança é recompensada de alguma forma, toca uma música ou o bonequinho se mexe", explica.

Outra vantagem apontada pelo psicólogo é que a maior parte desses programas de computador é desenvolvida em outros países, o que torna o uso por crianças brasileiras mais difícil. Faggiani elogia a iniciativa: "É bom que um brasileiro esteja fazendo isso em português. Sou completamente a favor do uso", diz.

Experimente o Aiello
O jogo, compatível com qualquer navegador de internet, tanto em dispositivos móveis quanto em computadores é totalmente GRÁTIS e poderia ser útil em instituições que cuidam de autistas. Para jogar envie um e-mail com seu nome completo para querojogar@jogoseducacionais.com ou entre no site: http://autismgames.virtual.vps-host.net/. Em algumas horas você receberá um e-mail com seu login e senha para acessar o jogo.

Rafael explica que a vontade dele é ajudar essas crianças, que tem poucas opções de jogos e softwares de aprendizado, por isso vai distribuir o jogo de graça.



O jogo está disponível, também nos links:






fonte


image